22 de set de 2011

Carros elétricos são destaque do Salão do Automóvel de Frankfurt



















Eletromobilidade é este ano o tema central da maior feira
automobilística do mundo. O Salão do Automóvel de Frankfurt, que abriu
suas portas nesta quinta-feira (15/09), traz, pela primeira vez, um
pavilhão inteiro dedicado só ao tema.

O espaço exibe estandes com produtos que abrangem todos os elos da
cadeia produtiva de um carro elétrico, e onde estão também empresas
cujos nomes são pouco conhecidos como fornecedoras da indústria
automotiva, mas que estão investindo muito em propulsão elétrica.

É o caso da multinacional Siemens, sediada em Munique. "Para nós é,
claro, uma grande satisfação poder estar de novo presente no Salão de
Frankfurt depois de muitos anos", disse o executivo Michael
Valentine-Urbschat, em entrevista à Deutsche Welle. Ele é diretor da
divisão de tecnologia de propulsão para carros elétricos da Siemens. A
gama de produtos de seu departamento inclui desde a propulsão elétrica
até a recarga de baterias, passando pela gestão inteligente de energia
e tráfego até a produção de energias renováveis.

Nova abordagem

Pela primeira vez no Salão do Automóvel de Frankfurt, um pavilhão
inteiro é dedicado a produtos de toda a cadeia produtiva de um carro
elétrico. De acordo com o presidente da Associação da Indústria
Automotiva Alemã (VDA), Matthias Wissmann, essa é uma "nova abordagem
que apoia e complementa as soluções de mobilidade elétrica
apresentadas nos estandes".

Uma pioneira dessa indústria se alegra especialmente: a empresa alemã
de médio porte German E-Cars apresentou no último Salão do Automóvel
de Frankfurt, em 2009, um protótipo de seu carro elétrico. Ao
contrário da maioria dos grandes fabricantes de automóveis, o veículo
está pronto para produção em série e já encontra compradores
satisfeitos.

"Já há pessoas que usam nosso carro para fazer 100 quilômetros até o
trabalho, têm lá uma possibilidade de recarga e dirigem 100
quilômetros de volta para casa", diz Frank Laaber, diretor da German
E-Cars. Ele conta que um cliente já rodou 20 mil quilômetros com o
modelo "Stromos", que já vendeu cerca de 180 unidades desde julho do
ano passado. "E o proprietário diz que já não é um segundo carro e sim
o primeiro carro da família, porque ele só precisa do carro a gasolina
para viagens longas", disse Laaber.

A polícia de Dubai tem veículos elétricos
O Elektro-Smart, versão "elétrica" do famoso modeloA empresa de
E-Volution, de Berlim, está presente no pavilhão dos veículos
elétricos com o Jetflyer, um tipo especial de veículo elétrico.
"Basicamente, é uma moto de quatro rodas que não tomba", diz Andreas
von Heinemann, da distribuidora do Jetflyer. Quem inventou o veículo
foi um amigo dele, o austríaco Michael Ritt.

Ritt relata com orgulho o sucesso de vendas do modelo em regiões
distantes do mundo. "No mundo árabe os nossos veículos são muito
populares", garante, acrescentando que a polícia em Abu Dhabi e Dubai
usa o Jetflyer para monitorar o trânsito. "A onda verde também chegou
a Abu Dhabi. E os nossos clientes querem ser rápidos, flexíveis e
silenciosos no trânsito."

Baterias caras
O coração dos carros elétricos é a bateria, que ainda é bastante cara.
Até demais, segundo Roland Mueller, especialista em baterias de alta
tecnologia de íon lítio. "Você tem que sempre considerar a economia de
escala, ou seja, se você produzir maiores quantidades, o preço
automaticamente baixará", diz. "Também devemos encontrar caminhos de
produção mais rentáveis e efetivos", acrescenta Mueller. "Não existe
ainda uma produção em massa", justifica.

A Evonik é uma prova de que muitas companhias estranhas ao ramo também
apostam na eletromobilidade. Especializada em produtos químicos
especiais, a Evonik está de olho na indústria automotiva. "Cerca de
10% do nosso faturamento total vem para aplicações automotivas:
baterias, plásticos e aditivos diversos. Também a tinta do veículo
contém ingredientes nossos", enumera o diretor da empresa, Klaus
Hedrich.

Assim como outros expositores, a Evonik espera ampliar o faturamento
com os carros elétricos. Já Laaber, da German E-Cars, vai além.
"Queremos mostrar aqui e agora que estamos, na Alemanha, a caminho da
liderança de mercado na área de veículos elétricos".


Por Deutsche Welle - DE

16 de set de 2011

Saiba a diferença de performance da gasolina brasileira: Podium x Aditivada x Comum




O texto a seguir constitui-se de material técnico da própria petrobrás:
A PETROBRAS Distribuidora S/A tem compromisso com a qualidade em todos os níveis do processo e é gratificante poder proporcionar um bom atendimento aos nossos clientes.
Em atendimento à sua consulta, informamos que a nossa gasolina PODIUM é uma gasolina com classificação Premium, porém com qualidade superior. Possui octanagem mínima de 95 octanas (IAD - Índice Antidetonante), baixa formação de depósitos, baixo teor de Enxofre (máximo de 30 ppm) e, praticamente, é isenta de benzeno, causando assim uma redução das emissões de poluentes no meio ambiente. Tem coloração alaranjada, e tem odor característico. Ela oferece um sensível aumento de desempenho em motores com taxas de compressão superiores a 10:1. A tendência para o consumo é de que ele permaneça constante. Em motores com taxas de compressão inferiores a 10:1, o benefício obtido será o da limpeza interna do motor.
As gasolinas de alta octanagem permitem a obtenção da toda a potência de projeto dos motores, porém somente quando estes motores são projetados com altas taxas de compressão da mistura ar-combustível (acima de 10:1), e no caso dos motores das motos 4 tempos, estes normalmente possuem altas taxas de compressão, beneficiando-se com este tipo de gasolina.
O seu uso contínuo permite que o motor permaneça limpo (hastes e sedes das válvulas, sistema de alimentação de combustível, etc.) ocasionando uma maior vida útil do conjunto.
Tem validade de até seis meses, nos tanques dos automóveis e motocicletas, sendo que as outras gasolinas, dentro de 60 dias, começam a perder suas propriedades, formando goma.
Se normalmente não se utiliza uma gasolina Aditivada ou de alta octanagem, recomendamos fazer um abastecimento progressivo aproximadamente de 10 em 10% da gasolina Podium, para evitar que devido a sua alta capacidade de limpeza, ela arraste algum depósito deixado pela gasolina comum, causando algum problema.
Eis as octanagens das nossas gasolinas:

A gasolina Comum possui:
· Octanagem MON = 80 octanas 
· Octanagem IAD > 87 octanas 
· Octanagem RON > 94 octanas

A gasolina Aditivada possui:
· Octanagem MON = 80 octanas 
· Octanagem IAD > 87 octanas 
· Octanagem RON > 94 octanas
A gasolina Premium possui:
· Octanagem MON = 85 octanas 
· Octanagem IAD > 91 octanas 
· Octanagem RON > 97 octanas
A gasolina Podium possui:
· Octanagem MON = não especificada
· Octanagem IAD > 95 octanas
· Octanagem RON > 100 octanas (105 aproximadamente)
A octanagem da gasolina é determinada pelos métodos RON, MON, E IAD. O primeiro avalia a resistência do combustível à detonação, quando o motor trabalha com carga total em baixa rotação. O método MON avalia a resistência da gasolina à detonação com carga total em alta rotação e o IAD é a média dos resultados RON e MON.
Há uma quantidade mínima de octanas que deve estar presente na gasolina, a gasolina comum e a aditivada devem ter no mínimo 87 octanas, a premium 91 octanas e a podium 95 octanas.
A gasolina aditivada nada mais é do que a gasolina comum com alguns aditivos que têm a função de limpar e manter limpo todo o sistema de alimentação de combustível da moto ou carro (tanque, bomba de combustível, tubulações, carburador, bicos injetores e válvulas do motor).
Já as demais gasolinas do tipo premium, pódium, V-power, possuem aditivos considerados secretos e que acabam aumentando a octanagem , trazendo vários benefícios para o motor, entre eles alguns que possuem agentes redutores de atrito que ajudam a diminuir o desgaste de várias peças do motor, carburador e injeção.
Em geral as gasolinas de maior octanagem são recomendadas para motores que possuem alta taxa de compressão (acima de 10:1)
Ao contrário do que muita gente pensa esses tipos de gasolina não aumentam a potência do motor, eles simplesmente fazem com que o motor funcione com a máxima eficiência.
O que determina a potência de um motor é o seu projeto, o combustível somente irá ajudar a acordar os cavalinhos.
Essas gasolinas também limpam totalmente o sistema de admissão, cabeçote, válvulas, removendo resíduos de carvão, facilitando a combustão e proporcionando melhora no consumo de combustível em torno de 4%, mas essas gasolinas não fazem milagres, o resultado é percebido após o terceiro ou quarto tanque.

4 de set de 2011

Estamos no Twitter




















A partir de agora temos também um conta no microblog Twitter. Iremos passar informações relevantes para nossos seguidores e também nos manter informados sobre o mundo automobilístico.

Se você curti o nosso blog,  nos siga no Twitter para interagir ainda mais conosco.  Vamos manter também um gadget na página principal do blog contendo nossas postagens no microblog.


3 de set de 2011

Rappers homenageiam o Opala

O Chevrolet Opala é tão admirado que foram feitos até raps para homenagear o modelo. "Muitos odeiam, muitos gostam, poucos têm, mas todos respeitam"; é umas das frases que aparecem no vídeo. 

De fato, o Opala é uma lenda do automobilismo brasileiro. No passado, ele já foi carro de abastados, de polícia, de ladrão, de políticos em Brasília e carro de corrida (primeiros Stockcars brasileiros). Hoje ele ainda deixa tanto jovens quanto veteranos de boca aberta quando passa. Os proprietários, em sua maioria colecionadores e amantes do estilo, garantem que as qualidades são insuperáveis por outros modelos, até mesmo quando comparados às novas tecnologias. 

Polêmicas à parte, o fato é que existe uma legião de fãs dos Opalões que vêem em suas linhas e motores possantes uma espécie de força emancipadora que os distingue dos carros "vulgares" do dia-a-dia. Há algo de estético nesse veículo, mas não aquela beleza trivial e fugaz dos zero quilômetros, e sim a dimensão que aproxima o homem de sua máquina como se fosse a extensão de seu corpo. 

O formidável motor Chevrolet 6cc aliado ao design arrojado faz do Opala um dos únicos representantes brasileiros de um estilo que os americanos chamam de Muscle Cars, ou seja, carros com motores potentes de apelo esportivo, que servem tanto para as ruas como para as pistas. Não é à toa que o carro chama tanta atenção até mesmo das novas gerações e despertou o interesse de rappers que resolveram, então, compor músicas falando de sua relação com o bólido: "Opala, intima quando rasga! Aí ninguém pára!"

Confira os vídeos dos raps com imagens de alguns dos mais conservados e preparados Opalas do Brasil.






Fábrica da Jac Motors

Conheça a fábrica da Jac Motors, marca que chegou ao Brasil e está tentando se firmar no mercado.